Kadija

Dhampir espadachim

Description:
Bio:

Background

Kadija cresceu no condado de Aerdal, em Ustalav. Filha mais nova, logo assumiu para si a responsabilidade de prosseguir com o legado da família, recebendo educação e treinamento marcial por parte do pai e de alguns eventuais tutores. Polida e hábil no traquejo social, um olhar atento, no entanto, pode revelar a verdadeira natureza de jovem: amaldiçoada por uma confluência de fatores, Kadija é uma dhampir.

Em sua vida de aventureiro e caçador de mortos-vivos, seu pai fizera algumas inimizades, mas a vida perigosa rendia-lhe alguns bons frutos. A idade, porém, eventualmente se abateu sobre os ombros de [Nome do pai], que se aposentou e, com parte da fortuna acumulada, comprou um lote de terras em Aerdal, assumindo seu casamento formalmente.

Não demorou muito para o primeiro filho vir, Darius. Seis anos mais tarde, [Nome da mãe] engravidou mais uma vez, e num estado avançado da gravidez, a família foi surpreendida. Um inimigo do passado, o temível vampiro [Nome do vamp], encontrou o abrigo do aventureiro e sua família, e concretizou sua vingança. Para ele, não seria bom o bastante dar cabo do seu nêmesis, mas fazê-lo sofrer pelo resto dos seus dias: condenou a futura mãe ao seu mesmo destino, transformando-a em vampira.

O pequeno Darius, ao tentar ajudar a mãe, foi golpeado pelo desmorto, ficando às portas da morte. O próprio [Nome do pai] foi incapaz de evitar a tragédia, e precisou tomar a pior decisão da sua vida, ao por um fim à existência de sua amada esposa. Com um futuro nebuloso à frente, o homem fez o que pôde para manter os dois filhos vivos.

Kadija, produto de um parto violento, estaria condenada ao nascer pelos sacerdotes de Pharasma, dado o “toque da morte” que a concebeu. O ex-aventureiro, no entanto, contou com a ajuda de um colega que conheceu em suas andanças, o professor Lorrimor, da universidade de Lepidstat, que assegurou que a menina poderia ter uma vida normal.

Kadija cresceu acostumada então à presença frequente do professor Lorrimor, e foi ainda na infância que descobriu as características de sua herança: vulnerável a efeitos que canalizassem energia positiva, o toque da morte mostrou-se bem mais poderoso do que as consequências aparentes, como a pele muito pálida e a sensibilidade à luz. Não demorou para que eles percebessem a necessidade da criança por sangue.

A jovem cresceu do lado do irmão mais velho, Darius, que após o encontro com o vampiro, ficou com a saúde muito comprometida. Movida por um sentimento de culpa pela condição e pela morte da mãe que não conheceu, Kadija tomou para si a responsabilidade de proteger o irmão, dedicando-se aos treinos de espada com afinco. Aprendeu também a se mesclar entre as pessoas, evitando assim chamar a atenção para seus traços mais vampirescos.

Foi com certo temor que viu o irmão partir para Lepidstat, seguir seus estudos alquímicos, mas sentia que o irmão nutria um desejo forte de vingança pelo homem que quase o matou. Os anos seguintes se passaram em relativa tranquilidade, com eventuais visitas do professor Lorrimor e do irmão Darius. Nos últimos anos, porém, uma estranha doença acometeu seu pai, e numa tentativa de melhorar as chances de sobrevivência do ex-aventureiro, sob sugestão de Darius, a família partiu para Lepidstat. Em diferentes tratamentos, paleativos sintomáticos e os gastos com os estudos de Darius, a maior parte do dinheiro da família foi gasto. Isso, porém, não pode salvar a vida do ex-aventureiro, que faleceu numa noite de sono.

Personalidade

Kadija é uma jovem desenvolta e simpática, mas a lembrança constante de sua natureza vampírica, em conjunto com a morte traumática de sua mãe e todos os acontecimentos envolvendo sua família, assomam na moça um grande sentimento de culpa, que ela tenta reverter em um senso de proteção. Ela se sente responsável por Darius, e é capaz de qualquer coisa para proteger o irmão.

Com um forte senso de dever, ela assumiu para si a obrigação de continuar não só o legado deixado pelo pai, representado na pistola que carrega e mantém limpa e bem cuidada, mas também de recuperar a posição ocupada por seu pai, de dono de algumas terras. Desta forma, Kadija acredita ser capaz de evitar que tragédias semelhantes aconteçam a outras pessoas, mantendo assim um caráter idealista, porém não exatamente ingênuo.

Aparência

Kadija tem a pele muito pálida dos vampiros e olhos de um cinza muito claro, que brilham vermelhos quando a luz incide diretamente sobre eles. Tem os cabelos compridos de um loiro acinzentado, e um corpo esguio que pode até enganar um oponente mais desavisado. Veste-se com roupas de qualidade, embora algumas delas já bem gastas pelo uso, preferindo camisas de mangas compridas, calças e botas de cano longo, além de sobretudo. Quando sai durante o dia usa óculos de lentes escurecidas, presentes do irmão mais velho. Presa à cintura, a rapieira, e num coldre, a pistola herdada do pai.

Kadija

Carrion Crown allanadilene