Carrion Crown

Capítulo 7 - A Viúva Aprisionada

12 de Pharast – 4711
Local: Harrowstone

Continuando a exploração, o grupo chega ao depósito do presídio, onde encontraram diversos itens e, em um armário oculto, os itens pessoais dos fantasmas mais perigosos: um punha de símbolos sagrados, uma machadinha encantada, uma flauta de prata, um grimório puído e um martelo de ferreiro. Os itens são divididos entre os membros da exploração.

Pouco depois, o grupo chegou à entrada do lugar e lá eles encontraram marcas de inscritos, que Kadija e Kendra descobriram que seriam de um ritual para capturar a alma do diretor Hawkran. Kadija concluiu que a ausência do diretor deve ter causado esse desequilíbrio, e, se os desmortos ainda não saíram do lugar, deve-se ao fato de não estarem de posse dos itens.

Durante a exploração, a dhampir escutou um grito de dor de uma mulher. O grupo chegou aos alojamentos dos guardas, onde Darius e Kendra encontraram alguns documentos. O casal abriu o livro do Professor Ensanguentado, e Kendra relatou, assustada, que o tomo parecia ter absorvido suas magias, e o nome dos dois aparecia continuamente nas páginas. Darius fechou o livro e atou fogo, e a queima soltou uma fumaça terrível, que deixou Darius sem ar brevemente.

Kadija trocou algumas palavras com a maga, acalmando-a. O grupo dirigiu-se ao escritório do diretor, onde encontraram alguns documentos e um cofre, que após muitas tentativas, foi arrombado por Darius e Yoric. Seu conteúdo incluía moedas de ouro e várias poções.

O grupo seguiu com a exploração, chegando a uma grande sala de formato vagamente triangular, e entraram em outro aposento menor, onde havia algumas prateleiras e um pequeno altar da Pharasma. Lá eles recolheram alguns itens antes de voltar à exploração. Com as águas bentas adicionais, Darius resolveu utilizá-las para neutralizar a assombração que trancava as portas da anti-sala próxima à entrada da prisão.

De volta à sala ampla, o grupo chegou a um aposento onde se podia ver o pátio onde as execuções aconteciam. O lugar começa então a ganhar vida, e as algemas, grilhões e ferros de lareira números de prisioneiros avançam contra os intrusos. Kadija e Kendra rapidamente fizeram uso dos haunting siphons, mas antes de serem destruídos, um dos atingiu a dhampir, marcando-a com um “8”.

A sala seguinte revelou-se uma oficina cheia de instrumentos de carpintaria e afins. Lá encontram o fantasma de Vesorianna. Ela contou detalhes sobre o incêndio, e afirmou que os homens d’ O Caminho Sussurrante – “os homens de robe negro” – estiveram por lá e levaram o seu marido. Ela pediu que os personagens trouxessem a insígnia de autoridade do marido, e assim ela poderia impedir que as almas do lugar fugissem ou atacassem a cidade.

O grupo continuou a exploração, mas Kendra e Kadija encontravam-se muito abaladas. Como todo o térreo já explorado, os aventureiros decidem rumar para o nível superior.

No andar superior, o grupo encontrou um ninho do que descobriram ser filhotes de stirges. Encontraram a cozinha e algumas celas habitadas por esqueletos inanimados. Num móvel utilizado pelos guardas havia gavetas e nestas Darius encontrou alguns papéis, entre eles um mapa razoavelmente preciso do andar. Uma dalas estava marcada com a palavra “Padre”.

Os personagens resolveram ir à sala marcada por último, após explorarem o resto do andar. Enquanto andavam pelas celas, Darius e Yoric ouviram o som de uma flauta.

Seguiu-se o combate com esqueletos e a aparição do Flautista. A batalha com os esqueletos já estava difícil, pois eles explodiam em chamas quando derrotados; além disso, ao som de flauta produzido pela aparição, stirges avançavam sobre os aventureiros – embora as criaturas parecessem evitar atacar Darius. Superando as dificuldades, o grupo derrotou a aparição e em seguida os esqueletos explodiram, deixando todos inconscientes.

Algum tempo depois, Kadija levantou-se desorientada e viu o sacerdote Grimburrow, e ele canalizou energia negativa, curando a espadachim e ferindo os demais. Ela avançou contra o sacerdote, tentando arrancar-lhe o símbolo sagrado, e ao tocá-lo, ele saiu correndo. Após ajudar os outros, Kadija e os demais foram atrás do padre.

O combate foi rápido: a dhampir avançou usando a machadinha encantada do Lenhador, e a arma surpreendentemente interagiiu com o desmorto. Darius usou um frasco de água benta e Yoric usou uma das flechas encantadas. O morto-vivo foi destruído, e os personagens resolveram voltar a Ravengro.

Chegaram à cidade na primeira hora da manhã e a encontraram em caos. Diversos bonecos das crianças estavam animados e atacando as pessoas. O xerife e outras pessoas conseguiram, com a ajuda dos heróis, deter a ameaça. Como uma boa parte dos brinquedos tinham vendidos pelo jovem Flan Muricar, as pessoas o acusaram de usar algum feitiço para encantar os objetos. Desse modo, o rapaz foi levado para prestar explicações.

View
Capítulo 6 - Prison Break

12 de Pharast – 4711
Local: Harrowstone

Darius, Kadija, Kendra e Yoric finalmente chegam a Harrowstone. As muralhas desgastadas pelo tempo e cobertas por vinhas os recebem de modo pouco auspicioso. Cientes do perigo do lugar, eles decidem fazer um reconhecimento ao redor da estrutura antes de rumarem ao seu interior.

Com as habilidades sobrenaturais de Kadija, descobrem a existência de mortos-vivos menores no fundo da lagoa que invade a prisão. Usando uma flecha iluminada magicamente, o grupo atrai as criaturas que revelam-se esqueletos e são facilmente derrotados. No entanto, antes de serem destruídos, eles rompem em chamas e explodem. Atentos para novas ameaças, os exploradores seguem.

O grupo decide não entrar no terreno da prisão pelo portão principal e sim escalar a muralha. Após algum tempo eles conseguem fazer a escalada e rumam para uma das torres de vigia. No caminho, Kadija tem uma estranha sensação de claustrofobia e calor emanando da prisão. Ao chegarem ao que restou da torre, o grupo encontra um grupo de ratos doentes e morcegos, que fizeram da estrutura o seu lar. Olhando do alto da torre, Kadija e Darius observam o que sobrou de Harrowstone, incluindo a estrutura principal da prisão e uma casa em ruínas.

Usando de subterfúgio, os aventureiros rumam até a casa, que parece estar literalmente caindo aos pedaços. Darius e sua irmã entraram no local para investigar enquanto os demais ficaram de vigia. A expedição, no entanto, não durou muito, já que quaisquer objetos de interesse já haviam sido levados e parte do teto começou a desabar. Felizmente os irmãos Drakov saíram sem ferimentos graves.

Após a explorar a casa em ruínas, os aventureiros decidem verificar um terraço no lado oeste da estrutura. O lugar revelou-se o palco das execuções na prisão, com uma estrutura de pedra no centro manchada de sangue e bancos de pedra ao redor. Ao entrar no lugar, Darius teve uma visão de um dos internos prestes a ser executado e prometendo vingança ao seu executor. Logo depois, a mesma foice que tirou centenas de vidas em Harrowstone apareceu flutuando no pátio com mãos esqueléticas segurando sua haste.

O que quer que animasse a foice, parecia obstinado a tirar a vida de Darius. O grupo avançou para impedi-la, mas armas provaram-se ineficazes nesse combate. Foi aí que o alquimista decidiu usar água benta para neutralizar as energias necromânticas sob efeito na foice – o que se demonstrou bastante efetivo. Junto com as magias de Kendra e mais um frasco de água benta lançado por Kadija, a criatura foi derrotada.

Depois do combate, o grupo notou uma porta de metal que levaria ao interior da estrutura. Mas ela estava muito bem fechada e mesmo o esforço conjunto de Darius e Yoric não foi capaz de abri-la.

Os aventureiros escolhem explorar a área em busca de uma entrada alternativa para a prisão em si. Ao se deparar com um trecho de muro parcialmente destruído, Darius decide escalar para descobrir o que tem do outro lado. O alquimista encontra um imenso forno e um pátio parcialmente destruído; após alguns instantes no local as brasas começam a acender e um jato de chamas é lançado na direção do jovem Drakov – que consegue no último instante evitar o fogo. Yoric e Kadija chegam depois, mas não sabem como lidar com a ameaça. A dhampir tem uma visão de um dos internos sendo lançado no forno e quando o tiefling tenta tirar as brasas do lugar ela vê um crânio soterrado. Kadija, então, pega a pá e lança o crânio na direção de Darius, que o chuta direto para o lago.

Após recuperar-se do encontro com o forno assombrado, os aventureiros entraram na enfermaria da prisão através de uma porta destrancada. Lá encontraram leitos e instrumentos de medicina, mas antes que pudessem explorar melhor o lugar vários objetos foram lançados na direção de Darius. Sem saber a natureza da ameaça, Kadija ajusta os seus sentidos para perceber a presença de mortos-vivos. Enquanto a dhampir mantem a concentração, criatura revela-se um poltergeist e aparece por alguns segundos, afungentando os demais aventureiros com sua presença aterradora. Incapaz de lutar e enxergar o adversário ao mesmo tempo, Kadija torna-se os olhos de seus companheiros e direciona os seus ataques. Um tiro certeiro de Yoric com uma flecha abençoada afeta gravemente a criatura, que é logo depois destruída pela água benta derramada por Darius.

Concentrando-se em sua habilidade, a dhampir tenta sentir que outras presenças mortas-vivas rondam o lugar. Sente algumas auras fracas e uma moderada no mesmo nível que estão, algumas auras fracas e duas moderadas no andar superior e uma aura forte e outras mais fracas no nível inferior.

Antes de adentrarem mais a fundo na prisão, os aventureiros retornam e examinam a ala leste da prisão, margeando o lago. Nesse lugar acham indícios de que o incêndio em Harrowstone começou numa estrutura de madeira, possivelmente um elevador de carga que dava para o nível inferior do lugar.

Em seguida, os exploradores chegam ao que deveria ser um auditório e encontram um dos seus antigos internos que lhes apresenta outros dois internos. O que parece ser o líder deles concorda em dar-lhes informações sobre o lugar em troca de uma pá para cavar um túnel e fugir. Quando Yoric traz a ferramenta, ele os informa sobre o plano do Professor Ensanguentado e como tudo deu errado e que o Diretor estava por perto, impedindo-os de fugir até pouco tempo atrás.

Após completar a barganha, os dois fantasmas fogem, mas o primeiro hesita dizendo que é inocente e que não poderia retornar a sua família. No entanto, Darius consegue convencê-lo de que ele não vai conseguir provar sua inocência nesse lugar e a criatura alcança o seu descanso.

View
Capítulo 5 - Verdades ocultas

9 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

Kadija dormiu o dia seguinte quase inteiro, e Darius passou a tarde com o pequeno Joshua. Kendra procurou saber quem seria o dono da casa supostamente habitada pela Noiva fantasma, além de procurar um lugar que Darius pudesse alugar para exercer sua atividade de médico. Uma das pessoas que foram atendidas por ele oferecer um armazém que não estava em uso.

No ínicio da noite, Kadija foi encontrar com o sacerdote Grimburrow, e os dois tiveram uma conversa muito cuidadosa de ambos os lados. Kadija deu a entender que ela e Darius desconfiam que há pessoas infiltradas na vila, e que elas estão envolvidas com os incidentes recentes acontecidos na cidade. O padre parecia relutar bastante e, deixou claro que não confia plenamente em Kadija. Eventualmente ele revelou que sabe que há algo em Harrowstone, e que alguma coisa aconteceu para quebrar o equilíbrio que mantinha as presenças dos mortos no lugar. Ao fim, o sacerdote compartilhou uma memória de quando esteve nas ruínas do presídio.

Kadija prometeu que revelaria as descobertas uma vez que conseguisse saber o que estava acontecendo. Ao final da noite, o grupo se encontra na casa de Kendra, e a maga ativa mais uma vez o tabuleiro dos espíritos, perguntando quem estaria fazendo as marcas no monumento. A resposta foi aproximadamente

HEANPHENUS

Os personagens levantaram algumas suposições, mas resolveram que na noite seguinte iriam a casa da Noiva. A depender dos resultados, seguiriam direto para Harrowstone. Kadija passou a noite de vigília próxima à estátua, mas mais uma vez nada aconteceu.

10 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

Darius recebe seu primeiro paciente ainda na casa de Kendra, e Kadija acorda sentindo-se mal, pela falta de nutrientes. Kendra percebe isso na espadachim, e de maneira objetiva, oferece o próprio pulso para alimentá-la. A jovem resiste inicialmente, mas logo sucumbe à tentação e se alimenta do sangue da maga. Logo em seguida, ela chama Darius, para que cuide do ferimento de Kendra.

O resto do dia se passa com preparativos, e no início da noite vão para a reunião do Conselho municipal. O grupo chega a presenciar algumas conversas calorosas quando as lamparinas da Prefeitura explodem e tem início o caos.

Em meio ao fogo que se espalhava, surgiram morto-vivos em forma de crânios flutuantes em chamas. Darius, Kadija e Yoric deram combate às criaturas, que ameaçavam o sacerdote Grimburrow. Quando o padre canalizou a energia positiva, no intuito de destruir os desmortos, acabou atingindo parcialmente Kadija. Enquanto isso, Kendra ajudava as pessoas a saírem do lugar.

Após o fim do combate, o grupo esforça-se em apagar o fogo da Prefeitura com a ajuda de algumas pessoas da vila. O conselheiro Hearthmount pediu aos personagens que sigam até Harrowstone para solucionar o problema e oferece uma recompensa de 500 peças de ouro. Após concordarem, Darius tratou dos ferimentos de Kadija, dentro das possibilidades – e o sacerdote Yosev lançou um feitiço de cura sobre o alquimista.

À noite, eles seguiram para a casa da Noiva fantasma, e no caminho encontraram o sacerdote Grimburow apoiando-se em uma bengala. O padre deixa claro que percebeu a natureza diversa de Kadija e Yoric e os questiona sobre o que realmente são. Darius diz que eles não precisam responder, mas Yoric e Kadija falam brevemente sobre suas origens não-humanas. Grimburrow pergunta se machucou a dhampir e diz que não o teria feito se soubesse de sua natureza. Ao mencionaram a investigação à Noiva fantasma, o padre diz acreditar que eles não encontraram nada ali. Ao fim, o padre retoma seu caminho sem atrapalhar o grupo.

O grupo segue até a suposta casa assombrada e com artifícios de detecção tentam encontrar a presença de mortos-vivos no lugar – sem sucesso. Darius vai até a porta com cuidado para não chamar atenção e a encontra fechada. Um bilhete embaixo da entrada carrega a mensagem:

“Você não é o meu marido. Peço que vá embora.”

Insatisfeito, o alquimista tenta forçar a porta, mas sem sucesso. Por último, ele pega o bilhete e escreve no verso:

“Eu sei o que está fazendo. Isso para agora!”

Finalmente, o grupo decide voltar a casa de Kendra para se recuperar. Darius passa a noite cuidando dos ferimentos de Kadija, enquanto os demais vão descansar.

11 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

Após o ataque do dia anterior, o grupo está mais ciente do tipo de ameaça que podem encontrar na prisão e o quão urgente é a situação. Decidem, portanto, que devem investigar Harrowstone na mesma noite. No entanto, devido à possibilidade de um membro do Caminho Sussurrante estar infiltrado na cidade, eles espalham a notícia de que irão à prisão apenas no dia seguinte – aproveitando-se da atenção conseguida pelo grupo após impedir a tragédia da noite anterior.

Ainda pela manhã, procuram o padre Grimburrow para saber se a igreja pode fornecer-lhes algo que os ajude nessa empreitada. O grupo espera alguns minutos até o fim da celebração matinal e o sacerdote os recebe sem cerimônias e entrega-lhes duas poções de cura.

De volta à casa de Kendra, o pequeno Joshua procura mais uma vez por Darius, que o ensina alguns símbolos alquímicos e passa-lhe um pequeno experimento para o garoto praticar em sua casa. Após isso, Yoric e Kadija rumam para o Demônio Sorridente para divulgar que irão à prisão no dia seguinte. Enquanto isso, Kendra e Darius permanecem na casa e uma conversa regada a vinho e livros termina com os dois aproveitando o que podem ser suas últimas horas de vida.

View
Capítulo 4 - A noiva fantasma

7 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

<…>

8 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

<…>

View
Capítulo 3 - Ladrões de tumba

5 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

<…>

6 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

View
Capítulo 2 - O Dia dos Ossos

Ano: 4705
Local: Uma casa abandonada em Ardeal

Adrius e Kadija chegam juntos a uma pequena casa no interior do condado de Ardeal, que é cercada de rumores envolvendo assombrações. O pai diz que Kadija deve manter-se atenta para qualquer movimentação. Eles andam em volta e percebem que a casa tem uma única entrada, e resolvem investigar.

Os dois entram na casa e começam a andar pelo lugar. Pendurado na parede, um quadro de uma mulher de vestido olhando um pouco aflita. Seguindo o olhar da mulher, Kadija percebe uma linha muito fina, que ativa uma armadilha de lâmina.

Pai e filha exploram a casa. E encontram indícios de que a mulher teve os seus filhos levados dali, através dos objetos encontrados no lugar e das visões que teve. Ao recuperar o quadro com a imagem das crianças e colocá-los próximos ao da mãe, a imagem da mulher pareceu tranquilizar-se.

Quando estavam prestes a sair, Kadija notou uns barulhos vindos da parte de baixo da casa. Ela levantou o alçapão e descobriu um gnomo escondido. Adrius revelou então o nome do ilusionista, Garlic, e que toda a exploração foi um tipo de preparação para situações reais envolvendo mortos-vivos. A garota ficou chateada na ocasião, mas tomou no gnomo um amigo pessoal depois.

03 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

Darius e Kadija vão descansar após uma conversa sobre o próximo mês. No dia seguinte, todos vão à feira, onde compram alguns mantimentos e bebidas.

À noite, depois do jantar, os presentes na casa de Kendra abriram o baú de livros mencionado no testamento. Um diário, com a nota “Me leia agora”, foi aberto e lido por Darius.

Lorrimor_Journal.jpg

Após a leitura, Kendra explicou a história da prisão de Harrowstone, que abrigara os piores criminosos de Ustalav. O presídio sofreu um incêndio, na ocasião de um motim, que tirou a vida de todos ali. Os personagens concluíram que o professor Petrus estava investigando os objetivos do Caminho Sussurrante.

Darius compartilhou o que conhecia sobre a ordem, explicitando os objetivos necromânticos do grupo, e lembrou o mais ilustre membro da ordem, o Tirano Sussurrante. Yoric, Darius e Kadija concordaram que o professor desejava que seu trabalho fosse continuado, e que os interesses do Caminho em Ravengro fossem revelados.

Kendra, abalada, acrescentou que aqueles que se mostrassem ameaças para a ordem eram mortos de forma a terem a boca mutilada, impossibilitando o uso de magias de comunicação com os mortos. Como aconteceu com seu pai, que foi encontrado morto com o crânio esmagado por uma gárgula.

O grupo resolveu então buscar junto à igreja de Pharasma os registros dos mortos no incêndio do presídio, bem como analisar os arquivos da prefeitura e buscar informações na escola Pergaminho Desenrolado. Na mesma noite, os personagens analisaram os livros do baú, e viram que o professor guardava livros sobre Urgathoa e Zon Kuthon.

04 de Pharast – 4711 (Starday)
Local: Ravengro

Após uma noite mal dormida, os personagens seguem com os planos traçados. Yoric e Kadija seguem para a igreja, e no caminho, encontram um grupo de crianças que brincavam com cantigas qeu faziam referência às práticas de alguns prisioneiros de Harrowstone. Na ocasião, ele conhecem Carmen, uma das meninas do grupo. Na igreja, Kadija e Yoric chegam ao padre Grimburrow, falando de suas práticas anteriores da igreja de Pharasma e se oferecendo para ajudarem nos preparativos para o Dia dos Ossos. O sacerdote comprou o blefe, e pediu que os personagens fizessem a cópia do pergaminho usado na celebração, dando assim acesso aos nomes dos mortos no incêndio.

Kendra e Darius seguem para a prefeitura, onde ela usa uma magia para copiar os arquivos do lugar. De lá, eles seguiram para o Pergaminho Desenrolado onde conseguiram algumas informações, como os nomes pelos quais eram conhecidos os cinco prisioneiros mais infames: o Professor Ensanguentado, o Lenhador, o Flautista de Illmarsh, o Vigário Falsário e Esmaga Crânio (ou viúvo de Mosswater).

À noite, Kadija e Yoric vão para o Demôno Sorridente, onde conhecem e conselheiro Gharen Muricar. O trio conversa um pouco, mas logo o conselheiro se retira. Um incidente na taverna então explode: a carta “A Revolta”, durante um jogo de cartas, entrou em aparente combustão espontânea. Desconfiada, Kadija levou a carta para mostrar aos outros.

Darius e Kendra conversavam quando Kadija e Yoric chegam, e a espadachim relata o ocorrido. Yoric acrescenta que teve a impressão de ter ouvido vozes, gritando e pedindo para escapar. Os personagens teorizaram que poderia tratar-se de uma assombração, uma manifestação psíquica causada por algum acontecimento marcante – no caso, o incêndio de Harrowstone. Os personagens resolvem montar guarda, para evitarem surpresas desagradáveis à noite. Kadija pegou o primeiro turno.

No meio da noite, Kadija sentiu um forte cheiro de queimado, e percebeu ter se originado no quarto de Yoric. ela vai até o quarto, onde ele acorda aos berros, revelando garras e chifres. Yoric explica que é um tiefling, e com os ânimos acalmados, conversam um pouco.

05 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

<…>

View
Capítulo 1 - Missivas dos Mortos

Ano: 4706
Local: Universidade de Lepidstadt – Lepidstadt

Darius Drakov está terminando seu trabalho de conclusão de curso, a alguns dias da data final de entrega, quando seus companheiros do clube de esgrima Gateguard o convocam para a Cerimônia, um ritual conhecido que envolve disputas de esgrima regadas a bebidas no topo de uma colina. Sob a pressão de seus colegas Henric Luszi e Morvius Vanyar ele resolve ir, porém munido de infusões e material de primeiros socorros.

Vários formandos e estudantes da Fraternidade Gateguard se aproximavam do local marcado, esperando saírem de lá portando a Cicatriz de Lepidstat, sinal de status e companheirismo entre os acadêmicos da universidade. Nicolos von Murdoc, um aristocrata de Ustalav, solta algumas provocações para o jovem Darius, que responde de forma agressiva e sarcástica. Ao fundo, um jovem se candidata para se iniciar a cerimônia, e se coloca de costas ao pequeno penhasco enquanto três outros estudantes o cercam e preparam seus golpes. Golpes esses mais provocativos do que efetivos, com o objetivo de baixar a guarda do estudante ao invés de ferí-lo seriamente. Um corte rápido no rosto do voluntário deixa uma cicatriz fina e termina o embate em meio a aplausos e aprovação de seus semelhantes.

Henric se voluntaria para participar, ansioso por passar pelo ritual e ganhar o respeito de seus iguais. Ele se mantém firme, devolvendo alguns ataques de forma defensiva mas logo é atingido no rosto, conseguindo a cicatriz. Morrius, logo depois, segura bem a sua posição até escorregar na lama e ficar desequilibrado. Apesar de sua vulnerabilidade, ele ainda consegue desarmar um dos seus atacantes e se proteger, se surpreendendo quando um golpe atravessa suas defesas e deixa um corte superficial na maçã do seu rosto. Enquanto isso Darius observa os embates e se prepara. Para o rapaz qualquer combate é uma prova, um degrau no longo caminho até o seu confronto final. Ele ingere uma profusão de infusões, a primeira eliminando os sinais de sua embriaguez, a segunda gerando um campo protetor e a terceira modificando a sua forma física, oferecendo uma força extraordinária. Então ele convoca Nicolos para a dança e o combate inicia.

Henric avança timidamente, seu ataque um mero teste para as suas defesas. Nicolo avança mais decisivamente mas é detido pela proteção alquímica e logo parece notar. Darius devolve o golpe atingindo o aristocrata com tamanha força que entorta o sabre de treino e força-o a abandonar a disputa. O alquimista, tomado por uma fúria desconhecida, quase ataca Nicolos pelas costas, se segurando no último instante. Sem compreender a força que toma a sua mente, Darius tenta se conter, mas ao ser acertado por Henric tem a sua vontade sobrepujada. Instintos animalescos tomam conta de sua mente e ele ataca os seus colegas furiosamente até ser acertado no rosto e conseguir se conter diante das feições de medo de seus companheiros. Vendo seu amigo Morvius ferido, ele tenta ajudar mas termina por fugir da multidão.

Após incessantes experimentos disputando a sua atenção com o seu trabalho acadêmico, Darius isola o componente que deixa a infusão mutagênica tão instável e passível de danificar o seu intelecto. O mesmo componente, porém, potencializa o efeito de desenvolvimento muscular do mutagen, gerando ainda mais força para o alquimista. Sabendo que toda e qualquer vantagem melhorará as suas chances quando o confronto final chegar, ele decide por manter o elemento instável em sua fórmula apesar dos riscos inerentes ao seu uso.

Ano: 4709
Local: Mansão da família Drakov – Ardeal

Darius e Adrius Drakov discutem fervorosamente a respeito de sua viagem a Lepidstat: o caçador aposentado não quer deixar as suas terras, e o filho mais velho quer pesquisar uma cura para a doença que aflinge o seu pai. Kadija tenta amainar a situação, convencendo o pai a fazer a viagem. Após alguma discussão entre os dois, a noite tempestuosa se passa, com Adrius e Darius conversando amigavelmente. Kadiga ouve parte da conversa e depois vai dormir, enquanto Darius dorme na porta do quarto do pai.

Os esforços dos irmãos, porém, não se provam páreo para a doença devastadora. Ao amanhecer Kadija encontra o pai desfalecido e chama por Darius, que não precisa lançar mão de toda a sua perícia medicinal para constatar que Adrius não mais vivia.

Dias após, o testamento é lido por Kadija, e nele, Adrius deixa instruções precisas para o seu funeral. Estavam presentes o professor e amigo da família Petros Lorrimor, o sacerdote local Thanus, a governante Mathilda e os dois filhos. Adrius deixara um baú para Mathilda, outro para o professor Petrus e um terceiro para o sacerdote. Entre as instruções dadas, Adrius exigia que seu funeral fosse realizado no Dia da Lua e seu corpo fosse queimado de uma forma específica, envolvendo uma magia a ser conjurada pelo professor.

No dia seguinte, porém, o sacerdote Thanus chega acompanhado de Dom Emilio, sacerdote elevado na hierarquia da cidade de Kavapesta. O Dom explica para a família que Adrius havia sido um inquisidor da religião de Pharasma e caçador de mortos-vivos e, por seu serviço dedicado, iria ser reconhecido com um busto a ser exibido entre os santos de Kavapesta. Ele pede aos irmãos Drakov que o enterro seja adiado para que um escultor possa ser trazido, mas Darius não parece afeito à ideia que o seu pai não seja enterrado quando devia. Os irmãos discutem calorosamente, mas Darius convence Kadija que a vontade de seu pai era de ser despachado o mais rápido possível. O alquimista vai até a cidade e transmite a decisão a Dom Emilio, que parece desapontado.

À noite, Kadi ja lamenta a morte do pai chorando ao seu lado. Darius a encontra e tenta oferecer algum apoio antes de ir dormir. Pouco depois, após ser deixada sozinha com o seu pai, ela ouve sons estranhos se aproximando da casa por fora. Quando vai examinar os sons é atacada por Dom Emilio, agora demonstrando sinais claro de desmorte. Acompanhando o pretenso sacerdote morto-vivo dois combatentes escalam as paredes da casa e tentam adentrar o quarto. Kadija grita por ajuda, e Darius, sendo acordado no meio da noite, olha ao redor e leva a sua arma mais efetiva: a infusão mutagênica. Ao invadir o quarto e encontrar a sua irmã sendo atacada pelo desmorto e seus capangas, Darius ingere a infusão e a sua forma física muda diante dos olhos de todos: seus músculos saltam e incham, seus ossos estalando diante do esforço de prover força para tanta massa, suas unhas são arrencadas em meio a sangue, sendo substituídas por garras lupinas. Seu dentes caem pelo assoalho, dando lugar a presas desiguais e pontudas, e o monstro que domina a sala não guarda muitas semelhanças com o jovem alquimista. Ele cai sobre o guarda-costas do sacerdote em uma avalanche de garras e presas, deixando-o sangrando insconsciente no chão. Kadija e o morto-vivo trocam golpes, e o farsante Dom Emilio se mostra surpreso com a resistência da garota perante a sua força extraordinária. A luta toma um outro rumo quando o professor Petros Lorrimor irrompe na sala e invoca uma rajada de chamas que ateia fogo ao morto-vivo, que decide em favor da sobrevivência e resolve fugir pela janela. Kadija não desperdiça nenhum momento – ela pega o mosquete de seu pai e dispara no morto-vivo fugitivo, acabando com sua fuga.

Kadija e Lorrimor queimam o corpo do reverendo enquanto Darius tenta explicar a natureza de sua infusão mutagênica e extinguir suspeitas de licantropia. Kadija acalma os servos e criados da mansão, anunciando que ladrões tentaram invadir a casa em busca dos tesouros da família. O alquimista procura Kendra, a filha do professor Lorrimor, e tenta acalmá-la depois que ela o avistou transmutado no monstro.

Ano: 4711
Local: Mansão da família Drakov – Ardeal

<…>

01 de Pharast – 4711
Local: Ravengro

<…>

02 de Pharast – 4711

<..>

View
Welcome to your Adventure Log!
A blog for your campaign

Every campaign gets an Adventure Log, a blog for your adventures!

While the wiki is great for organizing your campaign world, it’s not the best way to chronicle your adventures. For that purpose, you need a blog!

The Adventure Log will allow you to chronologically order the happenings of your campaign. It serves as the record of what has passed. After each gaming session, come to the Adventure Log and write up what happened. In time, it will grow into a great story!

Best of all, each Adventure Log post is also a wiki page! You can link back and forth with your wiki, characters, and so forth as you wish.

One final tip: Before you jump in and try to write up the entire history for your campaign, take a deep breath. Rather than spending days writing and getting exhausted, I would suggest writing a quick “Story So Far” with only a summary. Then, get back to gaming! Grow your Adventure Log over time, rather than all at once.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.